Educação Infantil

Gabriela-Valente-de-Lima

Gabriela Valente é psicopedagoga e coordenadora da Educação Infantil na Escola Criar e Recrear

A partir da Educação Infantil, a escola começa a fazer parte da vida da criança. Para saber mais como os aprendizes da Educação Infantil são estimulados na Escola Criar e Recrear, leia a seguir entrevista com a coordenadora Gabriela Valente. Ela explica de que maneira a criança evolui e porque é tão importante, desde a primeira infância, a vivência no ambiente escolar.

Como a proposta pedagógica da Escola Criar e Recrear é trabalhada na Educação Infantil?
A proposta é aplicada em todas as turmas, mas de acordo com a idade das crianças. Os estímulos e as intervenções são diferentes. Dentro de cada turma, respeitamos o nível de cada criança. Não temos um padrão. Não é porque a criança está no infantil II que ela precisa estar dentro de determinado nível de escrita, de leitura ou de desenho. A gente entende que cada criança tem o seu tempo. Através dos estímulos que recebe, ela dá as respostas que a gente precisa para poder compreendê-la. É a partir destas respostas que a gente lança as intervenções que aquela criança precisa.

A atenção que a escola dá às crianças é individual?
Cada criança tem uma forma de atender diferente. Por isso, a gente, primeiro, tem este olhar individual para entender o perfil de cada criança, para que a proposta da escola seja aplicada de forma consistente. Se eu chegar na sala de aula com uma proposta de ensino e com uma forma de intervenção apenas, vou atender só a uma parte da turma. Mas se eu compreender cada criança dentro da sua individualidade, terei oportunidade de desenvolver estratégias para que todas aprendam a partir das próprias necessidades, das próprias linhas de raciocínio. Junto com a professora, as crianças aprendem a aprender. Esta é uma habilidade que eles vão desenvolvendo ao longo da vida e desde já vão tomando conhecimento do que é o aprender. Junto com a professora elas lançam hipóteses, são autorizadas a pensar e a colocar em prática o seu pensamento. As crianças vão percebendo não só de que forma elas têm mais facilidade de aprender, mas também como podem contribuir para a aprendizagem dos colegas. Tudo isso elas vão compreendendo no dia a dia, com os nossos projetos pedagógicos, com as intervenções feitas dentro da sala de aula.

Educação 2Que evoluções as crianças da Educação Infantil costumam apresentar?
Não temos um resultado padrão. A escola oferece os projetos, as intervenções, os estímulos, o próprio ambiente educacional, mas cada criança evolui ao seu modo. Toda criança tem conhecimentos prévios. Na escola, eles são trabalhados. Porém, aquela que continua sendo estimulada em casa, aprende mais.  As crianças que encontram os pais em situação de leitura, que veem a família interessada na sua vida escolar, com certeza terão mais condições de evoluir na aprendizagem. Para um melhor resultado, escola e família têm que ser parceiras.

Os aprendizes já saem lendo da Educação Infantil?
Temos crianças que no infantil II, normalmente de quatro anos, já apresentam os primeiros sinais de leitura. Praticamente todos os aprendizes do infantil III já vão para o 1º ano do Ensino Fundamental lendo. Isso acontece porque em todas as turmas, as crianças estão sempre em situação de leitura, estão sempre sendo desafiadas.

Educação Infantil 7Porque é importante a vivência escolar nos primeiros anos da infância?
O mundo hoje está bem diferente do de antigamente. Os pais trabalham muito. Há praticamente uma exigência para que as crianças fiquem aos cuidados de alguém para que os pais possam garantir recursos para oferecer uma vida mais confortável aos filhos. Neste contexto, a escola é o ambiente mais favorável e adequado. Os primeiros anos da vida são os mais importantes para o desenvolvimento da personalidade. A criança nesta fase precisa de muitas referências positivas, precisa incorporar valores éticos e morais, precisa assimilar as regras de convivência. Claro, não é com cinco anos que a criança desenvolve a personalidade, isso demora um pouco. Mas é na primeira infância, até os cinco anos, que ela absorve o que o outro oferece. O outro, no caso, a referência dela, ou seja, os professores, os pais, a família, os colegas. É a partir destas relações que a criança desenvolve a sua própria forma de ser. É uma grande troca. A criança incorpora valores éticos e morais e ao mesmo tempo desenvolve a sua própria forma de viver. Por isso é tão importante que ela esteja sob os cuidados de pessoas capacitadas.

Veja a seguir como são organizadas as turmas na Criar e Recrear:

Sensório motora – Aqui o bebê tem seu primeiro contato com o universo escolar. Participam aprendizes com idade entre seis meses a um ano e meio. A assistência é praticamente individual, com limite de uma colaboradora para até duas crianças.         

Socialização – Chega a hora das primeiras atividades de classe, do contato com a música e com os projetos pedagógicos. Esta turma reúne crianças com idade entre um ano e meio a dois anos e 11 meses. As letrinhas e os números começam a fazer parte da vida do aprendiz com mais intensidade, assim como as regrinhas da boa convivência.

Infantil I – Esta turma é reservada aos aprendizes com três anos de idade. Como na Socialização, os alunos ganham intimidade com a música e com os projetos pedagógicos. Tem muita arte, leitura e cantoria.

Infantil II e Infantil III – São as turmas para aprendizes de quatro e cinco anos, respectivamente. Além de música e de participar dos projetos pedagógicos, eles têm informática e inglês.

Com exceção dos aprendizes da turma Sensório Motora, todos também participam das aulas de educação física.