Notícias

Ensino Bilíngue desenvolve fluência e aumenta bagagem cultural

 

versão_site_criar_recrear_

Em contato direto com o inglês, através de 5 horas de aulas semanais, os alunos estudam disciplinas como matemática, ciências, história e culinária na língua inglesa

Quase 4 milhões de crianças no mundo  frequentam escolas de ensino Bilíngue, segundo dados da International School Consultancy, publicados pela Revista Veja, edição de 7 de janeiro de 2015.

Essa tendência em buscar conhecimento globalizado, já é realidade também para crianças em processo de aprendizagem em Alagoas.  Na Escola Criar e Recrear, o serviço pioneiro, implantado em 2013, em parceria com a metodologia da Systemic, possibilita o desenvolvimento da fluência na língua inglesa e aumenta a bagagem cultural.

Segundo a diretora da Criar, Delane Valente de Lima, a necessidade de comunicação em mais de um idioma é uma tendência global e o ensino bilíngue é a  melhor forma de aprender uma segunda língua com naturalidade.

 “O método do ensino bilíngue tem como característica ensinar o conteúdo programático em duas línguas, inglês e português. Quando começa a aula, o aprendiz já sabe que lá é 100% em Inglês. ”, inclui Delane.

Para dona Alice Paiva, mãe da pequena Maria Fernanda, os resultados do investimento na formação bilíngue da filha são surpreendentes. “Fico surpresa com o resultado positivo e fluxo de aprendizado. A experiência é muito rica por despertar, de forma espontânea, o interesse por outra língua. Recomendo por ver minha filha já ensaiando as primeiras conversações”, revela.

 Método diferenciado

ig_criar_

Comunicação em mais de um idioma é uma tendência global e o ensino bilíngue pode ser a melhor forma de aprender com naturalidade

Há dois anos o sistema bilíngue foi inserido na Criar e Recrear. Systemic é o nome do ensino,  desenvolvido pela System Idiomas, o qual, de forma inovadora e interdisciplinar, trouxe  a oportunidade de desenvolver um novo idioma em regime de imersão.

 Em contato direto com o inglês, através de 5 horas de aulas semanais, os alunos estudam disciplinas como matemática, ciências, história e culinária em inglês.  Fátima Tenório, uma das diretoras e idealizadoras do sistema conta que o diferencial do Systemic é que ele não foca apenas no ensino da gramática, como era mais natural em tempos anteriores, mas de uma forma mais dinâmica.

“Os alunos aprendem o inglês não como uma matéria extracurricular, mas como uma forma natural para se comunicar, é como se eles estivessem numa escola americana. Além da interdisciplinaridade, existe a parte lúdica, que é muito importante quando estamos lidando com crianças, ou seja, se torna mais interessante aprender os números em inglês jogando amarelinha, por exemplo.”

Com a exposição constante do idioma durante as aulas, com a aquisição da língua inglesa pelas matérias escolares, os alunos se tornam fluentes rapidamente. Segundo informação da diretora, aprendizes que já estão no Systemic Bilingual por 3 anos seguem aptos para realizar exames de Cambridge e obter certificação  internacional.

“Os resultados colhidos da experiência com a Criar e Recrear tem sido muito bom, vibramos com a apresentação dos alunos na feira de ciências.  A escola soube investir e escolheu o há de melhor no mercado”, finalizou Fátima.